Quarta-feira
17 de Outubro de 2018 - 
Telefone: (21) 2524-4508
Telefone 24 horas: (21) 99627-5880
Fax: (21) 2569-8487
WhatsApp/Telegram: (21) 99627-5880
Endereço: Rua Barão de Mesquita, 133, sobrado, parte, Tijuca, Rio de Janeiro, RJ, CEP ...
CASTRO MAGALHÃES SOCIEDADE INDIVIDUAL DE ADVOCACIA

Controle de Processos

Webmail

Newsletter

Previsão do tempo

Hoje - Rio de Janeiro,...

Máx
30ºC
Min
19ºC
Pancadas de Chuva a

Quinta-feira - Rio de ...

Máx
32ºC
Min
19ºC
Pancadas de Chuva

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 3,71 3,71
EURO 4,30 4,30
LIBRA ES ... 4,90 4,90
GUARANI 0,00 0,00

Endereço

+55 (21) 2524-4508+55 (21) 2569-8487 FAX+55 (21) 99627-5880

Últimas notícias

Violência doméstica afeta crianças, alerta coordenadora judicial de RR

Na semana em que é comemorado o dia das crianças, a Coordenadoria Estadual de violência Doméstica e Familiar do Poder Judiciário de Roraima, faz um alerta a sociedade acerca da importância de se discutir políticas públicas e campanhas de sensibilização, sobre o tema “filhos da violência doméstica: e os efeitos negativos no seu desenvolvimento físico, social e emocional”. Conforme estatística do setor, no 1° semestre de 2018 das 355 Medidas Protetivas analisadas, foi possível identificar que em 181 casos de violência registrados, o casal tinha filhos. Destes, 40% ocorreram dentro do ambiente familiar, sendo que o principal ofensor da mulher é o marido ou ex-companheiro. A doutora em Direito Penal de São Paulo, Alice Bianchini, ressalta que embora a sociedade não tolere a violência contra a criança, ainda é muito tolerante em relação à violência contra a mulher. “Isso é um contrassenso, pois a violência contra a mulher também é uma violência contra o filho” e lembrou que a Lei Maria da Penha (Lei 11.340/2006) não é destinada apenas à mulher e ao agressor, mas também aos filhos e demais familiares e às testemunhas.Aurilene Moura, pedagoga e coordenadora das ações de combate a violência doméstica e familiar, enfatiza que “crescer em um ambiente abusivo pode afetar criticamente o progresso do desenvolvimento humano, de tal maneira que o efeito acumulado pode ser levado à idade adulta e contribuir para a perpetuação do ciclo da violência. Qualquer criança que vive em um ambiente com violência ou ameaça de violência é uma criança que precisa de proteção” afirmou.
11/10/2018 (00:00)
Visitas no site:  180119
© 2018 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.