Quinta-feira
21 de Fevereiro de 2019 - 
Telefone: (21) 2524-4508
Telefone 24 horas: (21) 99627-5880
Fax: (21) 4106-2842
WhatsApp/Telegram/SMS: (21) 99627-5880
Endereço: Rua Barão de Mesquita, 133, sobrado, parte, Tijuca, Rio de Janeiro, RJ, CEP ...
CASTRO MAGALHÃES SOCIEDADE INDIVIDUAL DE ADVOCACIA

Controle de Processos

Webmail

Newsletter

Previsão do tempo

Hoje - Rio de Janeiro,...

Máx
31ºC
Min
26ºC
Pancadas de Chuva a

Sexta-feira - Rio de J...

Máx
32ºC
Min
26ºC
Pancadas de Chuva a

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 3,71 3,71
EURO 4,21 4,21
LIBRA ES ... 4,84 4,85
GUARANI 0,00 0,00

Últimas notícias

Violência doméstica afeta crianças, alerta coordenadora judicial de RR

Na semana em que é comemorado o dia das crianças, a Coordenadoria Estadual de violência Doméstica e Familiar do Poder Judiciário de Roraima, faz um alerta a sociedade acerca da importância de se discutir políticas públicas e campanhas de sensibilização, sobre o tema “filhos da violência doméstica: e os efeitos negativos no seu desenvolvimento físico, social e emocional”. Conforme estatística do setor, no 1° semestre de 2018 das 355 Medidas Protetivas analisadas, foi possível identificar que em 181 casos de violência registrados, o casal tinha filhos. Destes, 40% ocorreram dentro do ambiente familiar, sendo que o principal ofensor da mulher é o marido ou ex-companheiro. A doutora em Direito Penal de São Paulo, Alice Bianchini, ressalta que embora a sociedade não tolere a violência contra a criança, ainda é muito tolerante em relação à violência contra a mulher. “Isso é um contrassenso, pois a violência contra a mulher também é uma violência contra o filho” e lembrou que a Lei Maria da Penha (Lei 11.340/2006) não é destinada apenas à mulher e ao agressor, mas também aos filhos e demais familiares e às testemunhas.Aurilene Moura, pedagoga e coordenadora das ações de combate a violência doméstica e familiar, enfatiza que “crescer em um ambiente abusivo pode afetar criticamente o progresso do desenvolvimento humano, de tal maneira que o efeito acumulado pode ser levado à idade adulta e contribuir para a perpetuação do ciclo da violência. Qualquer criança que vive em um ambiente com violência ou ameaça de violência é uma criança que precisa de proteção” afirmou.
11/10/2018 (00:00)
Visitas no site:  205440
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.