Sábado
19 de Janeiro de 2019 - 
Telefone: (21) 2524-4508
Telefone 24 horas: (21) 99627-5880
Fax: (21) 4106-2842
WhatsApp/Telegram/SMS: (21) 99627-5880
Endereço: Rua Barão de Mesquita, 133, sobrado, parte, Tijuca, Rio de Janeiro, RJ, CEP ...
CASTRO MAGALHÃES SOCIEDADE INDIVIDUAL DE ADVOCACIA

Controle de Processos

Webmail

Newsletter

Previsão do tempo

Hoje - Rio de Janeiro,...

Máx
38ºC
Min
27ºC
Poss. de Panc. de Ch

Domingo - Rio de Janei...

Máx
37ºC
Min
28ºC
Pancadas de Chuva a

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 3,75 3,75
EURO 4,26 4,26
LIBRA ES ... 4,84 4,84
GUARANI 0,00 0,00

Últimas notícias

São José dos Campos recebe audiência do projeto “Comarca Terapêutica”

Iniciativa aplica Constelação Familiar e Justiça Restaurativa.           São José dos Campos recebeu, na segunda-feira (3), nova audiência coletiva do “Projeto Comarca Terapêutica”. O evento possibilita a reflexão e tratamento de familiares e usuários de drogas envolvidos em crimes de menor potencial ofensivo. Na audiência, 94% dos usuários aceitaram entrar em programas de tratamento e familiares foram encaminhados a programas de acompanhamento. Já na última sexta-feira (30), o Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc) da comarca recebeu dezenas de pessoas que se encontram em fase de pórcio para participar da “Oficina de Constelação Familiar”.         Criado em 2012, o “Projeto Comarca Terapêutica” é coordenado pelo Poder Judiciário e pelo Ministério Público e integrado entre as áreas de Segurança, Saúde, Justiça, universidades e recursos comunitários. Na audiência sobre drogas é encorajado o compartilhamento de histórias de vida nos círculos da Justiça Restaurativa.         Neste ano, o projeto passou a empregar a “Constelação Familiar”, uma técnica que, ao ser aplicada, propicia a uma pessoa verbalizar um problema pessoal, examiná-lo e, se possível, superá-lo. No âmbito do Judiciário, é chamada de “Direito Sistêmico” e auxilia as partes a esclarecerem o que há por trás do conflito que gerou o processo judicial. Em geral, a ferramenta é aplicada em litígios que abordam questões de origem familiar, como violência doméstica, enpidamento, guarda de filhos, pórcios litigiosos, inventário, adoção e abandono. Um terapeuta especializado comanda a sessão.         Já a Justiça Restaurativa, por meio do processo circular, cria um ambiente sigiloso no qual os participantes têm a chance de compartilhar as próprias histórias de vida, permitindo conexão entre todos. Por meio de nosso saber e fazer coletivo, busca-se coesão entre todos para se identificar os envolvidos em determinado conflito, as necessidades destes envolvidos e as respectivas obrigações para se sanar a problemática. No projeto sobre drogas, busca-se a reflexão do próprio investigado para que ele perceba que a opção pelo tratamento e autoanálise são um importante caminho a seguir.                          *Com informações do MPSP.                            imprensatj@tjsp.jus.br
06/12/2018 (00:00)
Visitas no site:  198255
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.