Segunda-feira
26 de Junho de 2017 - 
Telefone: (21) 2524-4508
Telefone 24 horas: (21) 99627-5880
Fax: (21) 2569-8487
WhatsApp: (21) 99627-5880

Controle de Processos

Newsletter

Previsão do tempo

Hoje - Rio de Janeiro, R...

Máx
27ºC
Min
17ºC
Parcialmente Nublado

Terça-feira - Rio de Ja...

Máx
27ºC
Min
17ºC
Parcialmente Nublado

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 3,33 3,33
EURO 3,73 3,73
LIBRA ES ... 4,24 4,24
GUARANI 0,00 0,00

Últimas notícias

Jornada concilia demandas da Celpa

A economista Hilderlu Ferreira conciliou a ação de danos morais que ajuizou contra a concessionária de energia Celpa, nesta segunda-feira, 19, durante a III Jornada de Conciliação e Julgamento. Hilderlu considerou que o melhor caminho para o encerramento do processo é o diálogo. Ela teve seu nome incluído indevidamente no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) por uma conta de energia que já havia sido paga. “Foi bom porque evita várias audiências. A gente aceita um valor menor, eles também abrem mão de alguma coisa e todos saem ganhando. O que importa é ficar livre dessa demanda”, destacou a economista. Nesta terça-feira, 20, mais 100 processos da 6ª Vara do Juizado Especial Cível serão apreciados em audiências de conciliação, e na quarta-feira, 21, as outras 100 audiências serão da 10ª Vara do Juizado Cível. A Jornada ocorre no salão Rui Barbosa do Fórum Cível de Belém, das 8h às 16h. A ação está prevista no Plano de Gestão do Biênio 2017-2019, nos macrodesafios "Garantias dos Direitos de Cidadania e Adoção de Soluções Alternativas de Conflitos". Todas as 300 audiências agendadas para os três dias conciliação têm como demandante a concessionária de energia Celpa. De acordo com a juíza Ana Lúcia Lynch, titular da 2º Vara do Juizado Especial Cível, as principais ações judiciais são de consumo não registrado por desvio de energia; e acúmulo de consumo, ou seja, cobrança de três meses de consumo que não foram faturados de forma correta. Ainda segundo a magistrada, a Celpa é uma das maiores litigantes de todos os Juizados Especiais. “O grande desafio é conseguir o meio termo para solucionar o problema. A Celpa trás o maior número de parcelamento e descontos possíveis, mas o consumidor não reconhece a dívida”. Ana Lúcia Lynch também observa que “nas audiências de conciliação há uma maior liberdade da empresa em se comprometer com a coordenação dos Juizados Especiais, porque há um ajuste da Celpa que, por mera liberalidade, apresenta melhores propostas. Por isso, a expectativa de acordos é excelente”. Até o final de 2017, foram programadas sete Jornadas de Conciliação e Julgamento nas Varas de Juizados Cíveis e do Idoso. A ação tem o objetivo de reduzir o tempo de tramitação dos processos nos Juizados, especialmente o período de espera para a realização de audiências de conciliação em algumas unidades judiciárias.
Fonte:
TJ Para
19/06/2017 (00:00)
© 2017 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Visitas no site:  89597