Segunda-feira
20 de Agosto de 2018 - 
Telefone: (21) 2524-4508
Telefone 24 horas: (21) 99627-5880
Fax: (21) 2569-8487
WhatsApp/Telegram: (21) 99627-5880
Endereço: Rua Barão de Mesquita, 133, sobrado, parte, Tijuca, Rio de Janeiro, RJ, CEP ...
CASTRO MAGALHÃES SOCIEDADE INDIVIDUAL DE ADVOCACIA

Controle de Processos

Webmail

Newsletter

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 3,94 3,94
EURO 4,49 4,49
LIBRA ES ... 5,01 5,02
GUARANI 0,00 0,00

Endereço

+55 (21) 2524-4508+55 (21) 2569-8487 FAX+55 (21) 99627-5880

Últimas notícias

Direitos de Pessoas com Deficiência são discutidos em Oriximiná

Os Direitos das Pessoas com Deficiência e Cidadania foram os temas de palestras que a juíza Célia Gadotti, da Comarca de Oriximiná, realizou no último sábado, 14 de abril, na Associação dos Deficientes de Oriximiná (ADOR) e na Paróquia Santo Antônio, localizada no município. Durante a primeira palestra, na ADOR, a magistrada abordou aspectos legais sobre direitos de pessoas com deficiência, sua previsão constitucional, a lei federal sobre o tema e a assinatura em 2008 da Convenção da Organização das Nações Unidas (ONU) dos Direitos das Pessoas com Deficiência. A juíza também falou sobre direitos relacionados a cada tipo de necessidade, como o direito de cegos a ter um cão-guia, e isenções concedidas a pessoas com deficiência: não pagamento em transporte em barcos e lanchas, assim como isenção de impostos, tratamentos e medicamentos. Além desses temas, a magistrada falou sobre a inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho, a previsão de cotas em concursos públicos na Administração Federal, e o relacionamento entre pessoas com e sem deficiência. No encontro, a juíza também chamou atenção para o uso da expressão “pessoa deficiente”, que tem cunho discriminatório, e sugeriu sua substituição pelas expressões “pessoa com deficiência” ou “pessoa portadora de necessidade especial”. Segundo a juíza, ao tratar da previsão legal de acessibilidade em estabelecimentos e meios de comunicação, o tema é muito delicado, a sociedade ainda tem resistências quanto a isso e o próprio sistema governamental precisa se adaptar e fazer o que a lei determina. Em um encontro de comunidades na Paróquia Santo Antônio, com o tema Fé e Política, a juíza falou sobre Cidadania e sobre a conscientização do valor do voto como meio para mudar o país.
Fonte:
TJ Para
16/04/2018 (00:00)
Visitas no site:  168070
© 2018 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.