Sábado
17 de Novembro de 2018 - 
Telefone: (21) 2524-4508
Telefone 24 horas: (21) 99627-5880
Fax: (21) 2569-8487
WhatsApp/Telegram: (21) 99627-5880
Endereço: Rua Barão de Mesquita, 133, sobrado, parte, Tijuca, Rio de Janeiro, RJ, CEP ...
CASTRO MAGALHÃES SOCIEDADE INDIVIDUAL DE ADVOCACIA

Controle de Processos

Webmail

Newsletter

Previsão do tempo

Hoje - Rio de Janeiro,...

Máx
28ºC
Min
23ºC
Parcialmente Nublado

Domingo - Rio de Janei...

Máx
32ºC
Min
24ºC
Parcialmente Nublado

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 3,75 3,75
EURO 4,28 4,28
LIBRA ES ... 4,83 4,83
GUARANI 0,00 0,00

Endereço

+55 (21) 2524-4508+55 (21) 2569-8487 FAX+55 (21) 99627-5880

Últimas notícias

Desembargador nega liberdade a PMs que respondem por morte de aluna

Desembargador Joaquim Domingos Neto | Foto: Editora JC O cabo da Polícia Militar Fabio de Barros Dias e o sargento David Gomes Centeno, acusados de matar, em março do ano passado, a estudante Maria Eduarda Alves da Conceição, de 13 anos, tiveram habeas corpus negado pelo desembargador Joaquim Domingos Neto, do TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio), nesta terça-feira (10). Eles pediam o trancamento da ação penal afirmando que não há indícios da participação deles no crime. Maria Eduarda foi atingida por uma bala perdida quando os dois PMs trocavam tiros com traficantes perto da Escola Municipal Jornalista e Escritor Daniel Piza, em Acari, Zona Norte do Rio, onde a menina fazia aula de educação física na quadra do colégio. Além do tiro que atingiu Maria Eduarda, persos outros disparos atingiram a escola, que estava em pleno funcionamento e lotada de alunos. Leia também: TRE-RJ cria núcleo de inteligência para coibir propaganda eleitoral irregular Mediação em Libras será realizada no Fórum de Leopoldina CCJ da Câmara aprova a criação dos Juizados Especiais Criminais Digitais Execuções No mesmo processo, os dois policiais também respondem pela execução de dois traficantes de drogas junto ao muro da mesma escola onde Maria Eduarda estudava. O crime foi gravado por um morador do local e pulgado nas redes sociais. O cabo Fábio de Barros Dias foi denunciado pelo homicídio de Júlio César Ferreira de Jesus e o sargento David Gomes Centeno, pelo assassinato de Alexandre dos Santos Albuquerque. As vítimas estavam caídas, feridas em decorrência de confronto com os militares, quando os policiais fizeram disparos de fuzil à queima-roupa que resultaram na morte dos dois. De acordo com a denúncia oferecida pela 2ª Promotoria de Justiça ao 3º Tribunal do Júri da Capital, foram apreendidos perto do corpo de Júlio César, além de objetos, um fuzil AK 47 e uma pistola Glock, calibre 9 mm, ambos carregados. Ao lado do corpo de Alexandre, foi apreendida uma pistola Glock, calibre 9 mm, carregada. Fonte: Agência Brasil
Visitas no site:  186201
© 2018 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.