Segunda-feira
14 de Junho de 2021 - 
Telefone Fixo/WhatsApp: (21) 2524-4508
Telegram/SMS: (21) 99627-5880
Endereço: Avenida Presidente Vargas 3131, sala 604, Cidade Nova, Rio de Janeiro, RJ, CEP 20010-030
Próximo às estações Cidade Nova, Estácio e Praça XI do Metrô.
Próximo à Prefeitura, à Leopoldina e à Praça da Bandeira

Controle de Processos

Notícias

Newsletter

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 5,12 5,12
EURO 6,19 6,20
LIBRA ES ... 7,22 7,22
GUARANI 0,00 0,00

Judiciário aprimora políticas de sustentabilidade e acessibilidade com base na Agenda 2030 da ONU

10/06/21 - As políticas de sustentabilidade e de desenvolvimento de diretrizes de acessibilidade e inclusão de pessoas com deficiência no Poder Judiciário serão atualizadas para contemplar indicadores dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU). A equipe de trabalho responsável pela atualização, formada por magistrados e servidores de diversos órgãos do Poder Judiciário, contou com o apoio da Comissão Permanente de Acessibilidade e Inclusão do Tribunal Superior do Trabalho. O objetivo das mudanças é acrescentar regras de caráter operacional, a fim de criar ou melhorar os indicadores de desempenho. Os textos foram aprovados por unanimidade pelo plenário do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), em 1º de junho, durante a 332º Sessão Ordinária. Sustentabilidade A resolução traz alterações no Plano de Logística Sustentável (PLS) do Poder Judiciário (Resolução CNJ 201/2015), que coloca a Comissão Gestora do PLS sob a presidência de um magistrado. O PLS também passa a ser instrumento da Política de Governança de Contratações do órgão em questão e prevê normas operacionais que estimulam o uso de fontes de energia renovável.  As mudanças convergem com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), da Agenda 2030 (Portaria CNJ 188/2018). Acessibilidade e inclusão Em relação à acessibilidade, a Resolução CNJ 230/2016, também atualizada, estabelece indicadores de desempenho baseados, entre outros pontos, na acessibilidade em serviços, comunicação, tecnológica, arquitetônica e urbanística. A norma também prevê uma pesquisa para diagnosticar o nível de acessibilidade e inclusão da pessoa com deficiência nos órgãos do Poder Judiciário, visando à difusão, nas atividades de ambientação de novos servidores, de ações de acessibilidade e inclusão, de capacitação e acompanhamento funcional.  As iniciativas estão em consonância com os ODS sobre “assegurar a educação inclusiva e equitativa e de qualidade e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos”. (Com informações do CNJ)
10/06/2021 (00:00)
Visitas no site:  408372
© 2021 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.